quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Vidas





No mundo a caminhar
Existem tantas vidas
Em seus risos
Esquecidos
Em seus rostos
Desprezados
Vivendo solitários em seu mundo
Ignorados
Pedindo por dignidade para ter vida

Vidas que vem e que vão
Vidas...
Muitas vidas
Vidas
Atrás das grades, atrás dos muros
Jogadas pela cidade como se fossem entulho

Vidas, atrás de vida, atrás de um pão
A boca faminta de um pai de família
A abundância na vasilha de um cão

Vidas, atrás de vida, atrás de dignidade
Atrás de seus sonhos
Atrás de mudar sua triste realidade

Para que a corrida atrás da esperança
Não seja uma corrida atrás de ilusão
E que para saciar a fome de seu filho
Não seja obrigado a esperar
Pelo resto da vasilha de um cão

Vidas em suas orbitas
Algumas vezes nem tão lógicas
Mas vidas... Atrás de vida


Nenhum comentário:

Breve Comentário

Minha foto
Comecei com meus primeiros escritos por volta de 1988. Uma forma que encontrei para traduzir uma parte de meus pensamentos e sentimentos, pondo para fora assim algumas questões de meu coração. No decorrer dos anos, os pensamentos foram modelados e o coração domado, inserindo assim a cada sentimento e a cada pensamento um tom mais poético. Aproximadamente em 1999 comecei a trabalhar em uma história, que a partir de 2004 passei a chama-la de “Universo” devido à grande semelhança do universo com a mente humana. Ambos são infinitos e se conhece pouco sobre eles. Em 2008, 20 anos após meus primeiros versos, lancei na XX Bienal Internacional Do Livro De São Paulo a segunda parte da saga “Universo”, intitulada como Lais Stone. Neste blog procuro compartilhar um pouco do que escrevo, versos e pensamentos, e alguns registros em fotos. Obrigado pela visita, e seja bem-vindo a esta Galáxia.