domingo, 31 de dezembro de 2017

O Médico E O Monstro




O paciente não sofria de uma doença mortal com um pouco de empenho profissional poderia ter sua saúde restaurada, mas o medico se interessou pela esposa do paciente e se esqueceu do paciente, negligenciando seus remédios e lhe negando seus cuidados, fingindo aos olhos de sua esposa, que o tratava com todo carinho, até o momento em que o desenganou, desligando os aparelhos, dos quais nem precisaria estar lá se tivesse recebido cuidados profissionais.
Conquistou a viúva
E ocupou um lugar em seu coração
Lugar este que não lhe pertencia
Mas que jurava ser feliz, um casal que sempre sorria
Cada um com suas lembranças
Ela em seu esforço feito para salvar seu amor
E ele em seu descaso no tratamento deste amor


Jogo Dos Sete Erros



O amor se cala
Se perde no silencio
Em olhos que não se procuram
Corpos que não se desejam
Quebrando as juras feitas
E as riscando das lembranças
Procuram - se pelos erros
Como em um jogo dos sete erros
Erros estes que sempre pertencem aos outros
Mas que nunca pertencem a nós

Então, violentamente tudo se acaba
Violentamente tudo chega ao fim
E após tanto tempo de convivência
Após tantos momentos vividos
E tantas alegrias compartilhadas
Chegou-se a conclusão
De que não nasceram um para o outro...



Intergaláctica



Tudo começou com um projeto ousado de engenharia no final dos anos 70 na EMBRAER, 10 anos após sua fundação. Um projeto de grande interesse dos militares brasileiros que se resumia em construir um veículo que fosse capaz de viajar pelo universo, explorando planetas e mapeando os pontos possíveis de abrigar e dar continuidade ao gênero humano de uma forma satisfatória, e realizando tal tarefa com o menor custo e tempo possível.
Surgiu então pelas mentes brilhantes dos engenheiros José campos Filho, Ronaldo Bernardes Coelho e Antônio Francesco Cesari o projeto da intergaláctica.
O projeto se iniciou e caminhou até seus últimos suspiros no mais completo segredo militar.
Com o fim do regime militar em meados dos anos 80 acreditou-se que o projeto seria engavetado, mas o alto escalão militar continuou os trabalhos, mudando os locais de desenvolvimento da nave, e apresentando à EMBRAER um desinteresse pela continuidade do projeto alegando para isto os altos custos envolvidos nele e a falta de verba para leva-lo adiante de uma forma séria, dada a situação econômica do país naquele momento, dando assim por sua parte o projeto por encerrado. A EMBRAER, por sua vez, não vendo a necessidade de mercado para aquele aparelho a curto ou médio prazo, arquivou o projeto e nunca mais cogitou a possibilidade de voltar a trabalhar para traze-lo à realidade.
Em 1989, ainda procurando soluções para diversos problemas que assombravam o projeto, Coelho sofre um acidente cárdico vascular, o que o limita em muitos aspectos e o impede de exercer suas atividades por um período indeterminado, abrindo assim as portas para a entrada de mais dois nomes para a equipe, o general Francisco Roberto Cardoso, grande conhecedor de motores de foguetes e o engenheiro eletrônico inglês Edward Thompson.
Ambos, após assinarem termos de silencio perpétuo, passaram a trabalhar e contribuir de forma significativa para o bom andamento de tudo o que era feito dentro daquela equipe, que àquela altura pareciam membros de uma mesma família.
Em 1996 os trabalhos finalmente decolaram, foi um ano onde as mentes brilhantes reluziram ainda mais e iniciou-se a montagem da nave em um projeto confiável que embarcava toda tecnologia desenvolvida neste tempo. A nave foi pintada de uma maneira tímida, duas faixas em verde e amarelo a cortando da ponta até a sua cauda, mas um amarelo e verde discreto. Foi escrito nas laterais da nave o nome Brasil, mas de uma forma onde não fosse possível identificar as letras, somente os do projeto eram capazes de decifrar aqueles escritos. Era algo singular aos olhos e que mexia forte com as emoções. Os propulsores daquele pássaro imponente ligados soavam como som de música aos ouvidos! Uma daquelas operas onde se conta com os melhores de seu tempo e se faz apenas uma única apresentação a cada 1000 anos. Era como um beija flor pairando no ar... Majestosa e imponente em sua decolagem! Uma piscada de olhos no momento errado, já não se via mais nada! Já havia desaparecido no horizonte...
Na metade de 2001, aconteceu o primeiro voo oficial da intergaláctica, partindo de uma base secreta no estado de São Paulo, rumo ao polo norte, e lá o contornando e retornando à base secreta em São Paulo novamente. Um voo realizado pela mesosfera com os motores muito abaixo de sua potência nominal, algo que não durou mais do que dois minutos e 27 segundos, mas que foi o suficiente para rumores de objetos voadores não identificados em algumas regiões do hemisfério Norte.
Para termos de conhecimento, a intergaláctica era capaz de vencer a distancia de 540 mil anos luz em um dia fechado de viagem, ou seja, em 24 horas!
No começo de 2002 já era possível viagens para fora do sistema solar, ainda que de forma tímida e algumas regiões de Andrômeda já haviam sido observadas pelos “olhos” daquela “grande ave metálica”, assinando o nome do Brasil em regiões do universo além do imaginável.
Tudo seguia de vento em popa, até que algumas informações vasaram por meio de algum mercenário e os americanos começaram a rondar solos brasileiro sem o menor pudor atrás de informações maiores para possível partilhamento da suposta tecnologia. Muito se procurou por onde a informação poderia ter saído, mas sem sucesso.
O governo brasileiro, exercido na época por Fernando Henrique Cardoso, desconhecedor do fato, negou tal tecnologia por parte do Brasil até seu último dia de governo, que aconteceu em 31 de Dezembro de 2002.
Seu sucessor, Luís Inácio Lula da Silva, que assumiu a presidência do Brasil no dia seguinte, ao ficar a par destas informações garantiu apurar o caso e sendo verdadeiro os fatos, concordaria em vender parte da tecnologia e mediante alguns benefícios compartilharia o “know how” daquilo que definiu que, se fosse algo real, era “Uma obra de arte da engenharia brasileira.”
A intergaláctica era capaz de dar voltas incontáveis em torno do globo terrestre por um período incalculável de tempo, por se tratar de um veículo SNA, ou seja, sem necessidade de abastecimento, pois era movida por um mix de energia gerada pelo atrito e energia solar.
Após a metade de janeiro de 2003 o governo brasileiro iniciou uma caça acirrada a intergaláctica mediante aos benéficos propostos pelo governo dos Estados Unidos da América caso fosse confirmada tal tecnologia, obrigando por parte dos militares brasileiros como medida preventiva colocar todos os documentos e projetos referentes a nave, bem como as partes pensantes do desenvolvimento do projeto em seu interior e os deixar fora dos limites deste sistema solar. A intenção era que viessem à Terra apenas uma vez por mês, ficariam por poucas horas e após se embrenhariam pelo espaço novamente. Ali, por via, o projeto estaria em segurança e praticamente sendo impossível provar sua existência.
No total, contando com os dois tripulantes, haviam onze pessoas no interior da nave.
De julho de 2002 até a metade de janeiro de 2003 faram muitas as investidas e diversas propostas por agências internacionais, até a promessa de um brasileiro em uma viagem espacial oficial, algo que mexia com a ambição dos governantes em exercício do pais, leigos à façanha já realizada pela Intergaláctica.
Alguns outros acordos ficaram de serem firmados e diante muitas promessas, o rumo do projeto da Intergaláctica estava ficando a cada dia mais comprometido e quase impossível de continuar sendo executado de forma invisível, como vinha sendo feito até então, mesmo com as poucas entradas e saídas do pássaro ao planeta.
 A cartada final por parte do governo Americano, à época comandado por George W. Bush foi a promessa de perdão da dívida externa brasileira junto ao FMI, somada a todas as outras promessas já feitas caso fosse partilhado o projeto da Intergaláctica, obrigando de certa forma devido à generosidade das promessas feitas, com que as autoridades brasileiras fizessem com que a ABIN trabalhasse de forma intensa e exaustiva atrás das respostas mais desejadas naquela ocasião por eles.
Mas, como nada é perfeito e cada estrela tem seu tempo para brilhar, as nuvens de tempestade finalmente nos alcançaram, e após os primeiros relâmpagos, todo céu começava a escurecer. No dia 25 de janeiro de 2003, feriado do 449 aniversário da cidade de São Paulo, ocorreu a morte do general Francisco Roberto Cardoso e a intergaláctica foi forçada a mudar os planos e retornar à terra para que fosse possível lhe fazer um enterro digno e prestar as honrarias às quais era merecedor.
No dia primeiro de fevereiro do calendário terrestre, após deixarem para trás os 5.40 milhões de anos luz que separam Andrômeda da Via Láctea, às 12.37 horas pousam mais uma vez seguramente em solo brasileiro, na base localizada em um local não revelado no interior de São Paulo.
As dimensões da Intergaláctica não proporcionavam um abrigo confortável a todos os seus ocupantes, embora seus 32 metros de ponta a cauda e 34 metros de envergadura. O espaço útil em seu interior se resumia a pouco mais de 18 x 5 metros. Eram 9 pessoas envolvidas no projeto, papéis referentes à nave, que continham as instruções de construção e condução e mais dois tripulantes em seu interior, sem mencionar uma dispensa para 30 dias e mais um banheiro extra instalado às pressas, para atender às circunstancias do momento.
Neste retorno imprevisto ao Brasil, tudo foi feito de forma rápida. Desembarcado o corpo do general e para não chamar a atenção, apressou-se na partida, antes mesmo do escurecer, que aconteceu por volta das 13.53 horas de Brasília.
Aproximadamente as 13.54 do dia 1 de fevereiro de 2003, no mesmo horário de Brasília, poucos instantes após sua decolagem, perdeu-se contato com a nave, tentando um restabelecimento às 14.00 horas, 14.05 horas, 14.09 horas e mais tarde às 14.33 horas sem sucesso. Levando em consideração que por padrão de navegação estabelecido, durante as primeiras 10 horas de voo em direção ao espaço, os intervalos entre os contatos nunca ultrapassaram os 5 minutos, entre as 10 e 24 horas, os contatos seriam a cada 30 minutos e após as 24 horas, a cada duas horas. Após uma hora a espera por um contato e sem algo de positivo, e a chegada da notícia do acidente com um veículo espacial da NASA, foi declarado aos envolvidos com o projeto em terra que a nave foi perdida  de forma definitiva.
Sabe-se através de fontes não oficiais que houve uma colisão entre os dois pássaros quando um estava retornando a Terra após realizado sua missão espacial e o outro saindo para o espaço buscando preservar sua sobrevivência.
Embora os problemas apresentados oficialmente como causa do acidente com o ônibus espacial Colúmbia em sua reentrada, no dia 01 de Fevereiro de 2003, o destino das duas naves contribuiu para o desfecho final da história pondo um ponto final nos dias de glória com o infortúnio de duas rotas estarem involuntariamente traçadas para uma colisão, deixando como saldo  a perda dos sete astronautas americanos que retornavam da missão com a Colúmbia e onze bravos brasileiros, com a missão de proteger o projeto da intergaláctica.
No dia 12 de março de 2003 o governo dos Estados Unidos retirou todas as propostas ao governo brasileiro referentes ao partilhamento da tecnologia da intergaláctica.
Com alguns papéis do antigo projeto encontrados pela ABIN em poder da EMBRAER provou-se o desejo de construir a nave, mas nunca se provou nada além disto.
Algumas partes da Intergaláctica foram encontradas pelos peritos americanos, que as guardaram em um local ignorado para uma futura analise. É bem provável que pela violência do impacto se encontrem destroços das duas naves até na lua.

Os militares brasileiros se calaram sobre o episódio e juram esta ser mais uma das muitas invenções da mente das pessoas. Que o projeto existiu, como foi provado através de documentos encontrados na EMBRAER, mas que nunca deixou de ser apenas um projeto e que jamais saiu dos papéis, pois o Brasil não possui tecnologia nem dinheiro suficiente para investir em um projeto desta envergadura.

Escrito fictício -  por Will Aflagal 



sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Moedas De Prata


Com as moedas recebidas encomendou sua alma ao abismo
Mesmo estando diante do perdão
E caminhando lado a lado com a misericórdia
Fechou os olhos para o que é bom
Trancando o coração para a vida
Caminhando em passos apressados para a morte
Que o aguardava
Ao custo de 30 moedas de prata
Cunhadas pela traição



sábado, 2 de setembro de 2017

Considerações Finais



















Pensar em você faz parte do meu dia a dia

É a melhor coisa que aconteceu em minha vida

Ainda que uma fortuna incontável me alcançasse

Um bem muito maior eu encontrei em você

A luz do seu sorriso é o sol que clareira meu dia

E o brilho dos seus olhos cada estrela

A tornar minha noite mais bela

Que nossa história seja a mais linda história de amor

E nossa vida seja o melhor lugar do mundo para se viver

Também quero que saiba que sempre será muito amada

E que o lugar que ocupo em sua vida é para te fazer feliz

E ainda que passem muitos dias

Que estes dias confirmem tudo o que planejamos

E que no decorrer dos anos

Seja possível ver os nossos sonhos

Um a um a se realizar


Ps.  Lutei contra você até o dia que pude bravamente, com todas as minhas forças, mas mesmo assim não pude te impedir de conquistar meu coração.



sábado, 22 de julho de 2017

Livre Arbítrio



Entre as tantas possibilidades da vida
E entre todos os sonhos que temos
Não é somente a vontade que nos tornará grande
E nem o crescimento vem apenas pelo desejo
Nossas escolhas são o divisor de águas
O que faz toda a diferença
É o que nos colocará sempre um passo adiante
Ou mil passos atrás de qualquer um


                                                                                                          Por Will Aflagal





Imagem: https://tvnovaluz.com/yasmin-madeira/13/4/2017/refletindo-sobre-as-nossas-escolhas

domingo, 11 de junho de 2017

Vadio


Os passos que damos nesta vida...

E entre tantos sonhos, onde conseguimos chegar?

E a felicidade?

Alguma vez já a abraçamos bem forte

Ou tudo não passou de sonhos?

Sonhos desfeito em momentos

Antes mesmo do despertar...


Mas, na vida, entre tudo

Tudo o que se espera

É a sinceridade dos que nos rodeiam

Muito mais do que uma grande fortuna

Pois qual fortuna é mais comemorada

Do que a sinceridade em um círculo de amigos?


Porque o primeiro milhão apenas nos torna rodeados de risos

Mas em sua grande maioria risos falsos

Sorrisos frios e fingidos apenas interessados

Em ter um pouco do que o dinheiro pode oferecer


Entre toda fortuna que se pode somar em uma vida

Qual lhe proporcionará um abraço sincero?

Uma amizade verdadeira

Ou um alguém que se diga:

-Neste eu posso plenamente confiar!


Quantos milhões te garantirá um amor sincero?

Uma vivencia regada de afeto

Onde todos de coração desejem seu bem

Se importando antes de mais nada

Com o que o que você é, não com o que tem?


Porque por mais que se tenha, dinheiro é traiçoeiro

Não é fiel a ninguém, é um bicho sem dono, vadio!

Da no pé com qualquer um e pra qualquer lugar

De um momento pro outro, quando menos se imaginar


Por Will Aflagal


domingo, 7 de maio de 2017

Para Sempre


Sempre que penso em você
As memórias me são de um alguém inesquecível
Algo que vão bem além de lembranças guardadas
De tantas pessoas
Que nos lembramos delas vez por outra

Mas você se faz em um lugar especial
Dentro do mais íntimo do meu coração
Me trazendo tantos pensamentos bons
E lembranças que plantam em meu ser saudades
Porque me são lembranças boas, todas elas

Lembranças de dias memoráveis
Que me fazem pensar em você com carinho
Por tudo o que você tem sido
E representado para mim

E não poderia ser diferente
Pois você é uma pessoa singular
Que inspira paz à minha alma
Dando tranquilidade ao meu espirito

Sua presença cria um ar de magia
Gerando harmonia em tudo ao redor
Tornando cada segundo tão precioso
Dentro deste tempo dividido com você

Digo entre tudo sobre o brilho de cada estrela
Que a história que temos escrito juntos
É algo que o tempo jamais apagará
E que jamais será algo do passado
Por maior que seja o tempo decorrido

Porque são linhas escritas estas com sinceridade
Regadas com as palavras mais honestas
Sem nenhum tipo de rasura para correção
Nada que seja necessário mudar
Porque em cada linha se expressa em carinho

Cada linha é escrita com amor
Formando assim um laço
Que a cada dia é fortalecido
Independente das circunstancias
Porque não é feito de ocasião

Mas laço este
Que surgiu pela sinceridade
E se tornou pelo carinho
Um laço forte e firme




                                                    By Will Aflagal

domingo, 9 de abril de 2017

Silent Nights




I watch the Moon
And the stars
Ever brightness in infinite
To shine in the infinite that is in me

My heart rejoices, in silence
In the silent nights
Reflecting the moonlight in my eyes
Eyes that contemplate the beauty of infinite

Infinite that shines in the infinite there is inside of me
In silence

In the silent nights






                                                    By Will Aflagal

By Default



Gone to don´t back anymore

In your absence

The codes became more secrets

Without your joy, my smile became smaller

It became so discreet

I know, “Everyone has their time!”

But, it had to be just now?




by Márcia Olivia... Missing you.

Breve Comentário

Minha foto
Comecei com meus primeiros escritos por volta de 1988. Uma forma que encontrei para traduzir uma parte de meus pensamentos e sentimentos, pondo para fora assim algumas questões de meu coração. No decorrer dos anos, os pensamentos foram modelados e o coração domado, inserindo assim a cada sentimento e a cada pensamento um tom mais poético. Aproximadamente em 1999 comecei a trabalhar em uma história, que a partir de 2004 passei a chama-la de “Universo” devido à grande semelhança do universo com a mente humana. Ambos são infinitos e se conhece pouco sobre eles. Em 2008, 20 anos após meus primeiros versos, lancei na XX Bienal Internacional Do Livro De São Paulo a segunda parte da saga “Universo”, intitulada como Lais Stone. Neste blog procuro compartilhar um pouco do que escrevo, versos e pensamentos, e alguns registros em fotos. Obrigado pela visita, e seja bem-vindo a esta Galáxia.