sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Violência






Violência

Nas palavras
Nas atitudes
No olhar

As pessoas vivem sempre armadas
Preparadas para atirar a todo momento

Com palavras
Nas atitudes
Em um olhar

O mundo se perde em violência
E tantos já estão tão acostumados
Com as muitas vidas que se perdem
Dia após dia em meio a esta guerra
Que já nem se importam mais

Com o rolar das lágrimas
Com o derramar do sangue
E nem com a dor que ecoa
Em um grito de desespero

Vejo que em sua essência o ser humano agoniza
Já a beira de sua extinção, indiferente e insensível
Dando lugar a um ser sombrio, ausente de amor
Incapaz de se compadecer com o sofrimento alheio
Comprometido apenas com suas cobiças e seus desejos

Ignorando toda tragédia que cerca um mundo
Prestes a cair em um precipício
Por consequência de uma violência
Que mata mesmo quando não rouba vidas




Breve Comentário

Minha foto
Comecei com meus primeiros escritos por volta de 1988. Uma forma que encontrei para traduzir uma parte de meus pensamentos e sentimentos, pondo para fora assim algumas questões de meu coração. No decorrer dos anos, os pensamentos foram modelados e o coração domado, inserindo assim a cada sentimento e a cada pensamento um tom mais poético. Aproximadamente em 1999 comecei a trabalhar em uma história, que a partir de 2004 passei a chama-la de “Universo” devido à grande semelhança do universo com a mente humana. Ambos são infinitos e se conhece pouco sobre eles. Em 2008, 20 anos após meus primeiros versos, lancei na XX Bienal Internacional Do Livro De São Paulo a segunda parte da saga “Universo”, intitulada como Lais Stone. Neste blog procuro compartilhar um pouco do que escrevo, versos e pensamentos, e alguns registros em fotos. Obrigado pela visita, e seja bem-vindo a esta Galáxia.